DayTrippers – Paixão em Viajar

Zakopane, Mais Uma Paixão Nessa Viagem!

Alguns lugares nós gostamos, outros são interessantes, bonitos, mas alguns nós simplesmente nos apaixonamos. Assim foi com Zakopane, cidadezinha de montanha no Parque Nacional Tatras, parte mais alta da cordilheira dos Cárpatos no sul da Polônia divisa com a Eslováquia. Depois de rodar uns 100km tortuosos vindo da Mina de Sal de Wieliczka nos arredores de Cracóvia chegamos a noite no Good Bye Lenin Hostel, que por sinal adoramos. Na hora de fazer o check-in a Isa percebeu que tinha esquecido a cartucheira com os passaportes em algum lugar. Algum tempo refletindo, e concluímos que estava no banheiro da Mina de Sal. Um certo desespero mas ligamos lá e realmente estava, então tranquilizamos. O plano era passar menos tempo em Zakopane, mas decidimos esticar para esperar o envio dos documentos, ainda bem!

Zakopane

Com o pessoal no Good Bye Lenin

Éramos nós e a Marina, nossa visita de Coqueiral. No Hostel conhecemos muita gente legal, desde a dona até o Paul, um Irlandês que trabalhava de voluntário na recepção em troca de alojamento, a Nada e a Sarah, duas australianas em viagem longa, a Kat, polonesa que vem sempre a Zakopane e conhece tudo e a Giovanna, brasileira querida de Jundiaí, com quem logo nos entrosamos. Colocamos parte desse pessoal dentro do Curumim e fomos conhecer os arredores.

Começamos por uma caminhada deliciosa até a lagoa Morskie Oko que significa “olho do mar” e é a maior lagoa dos Tatras. Ela fica a quase 1.400m de altitude e rodeada de picos que chegam a mais de 1.000m de altitude em relação a superfície da lagoa. Um impressionante paredão que reflete na água de forma majestosa e fica ainda mais bonito com o toque dado pela neve e pelos pinheiros. É frio, mas agradecemos por estarmos lá no inverno e por ter sido um dia de sol.

Zakopane

Morskie Oko cercada de montanhas

No segundo dia passamos um tempo tentando entender porque o passaporte ainda não tinha sido enviado e como fazer para agilizar. No final do dia conseguimos recebê-lo antes de pegarmos no último minuto a última gôndola para o Kasprowy Wierch, e na melhor hora, o pôr do sol. La em cima dessa montanha de 1987 metros só nós, cercados por outras montanhas cobertas de neve que foram ficando alaranjadas ao mesmo tempo que a lua nascia. Embaixo podíamos observar um lago feito uma cereja no bolo. Mais uma vez, obrigado inverno por deixar o que já é bonito ainda mais bonito. Se esperássemos talvez mais um mês, em dezembro poderíamos esquiar.

Zakopane

Por do sol em lugar especial


Zakopane

Lua nascendo

Descemos já de noite para a cidade, que em um lugar desses obviamente não é o principal, mas completa, Zakopane é super charmosinha. Por coincidência encontramos a Kat que estava preparando uma festa de encerramento do Hostel que ficará fechado pelo próximo mês, quando a temporada baixíssima dá espaço para uma folga antes de começar a temporada de ski. Nos juntamos a ela, compramos uns vinhos e colocamos todos dentro do Curumim. No Good Bye Lenin foi uma noite de despedida, nós que seguiríamos estrada levando a Giovanna com a gente, o Hostel tirando folga e cada um no seu caminho.

Zakopane

Galera no Curumim

Deixou saudades, voltaremos um dia!

Zakopane

Com o pessoal no alto da Kasprowy

Próximos passos

Com apenas mais 4 dias de visto para a Schengen Area, faltando cruzar a Eslováquia e a Hungria até chegar na Croácia onde a pressão do visto deixará de existir vamos para a Demänovská Cave of Liberty na Eslováquia, dizem que as formações são impressionantes!

Demänovská Cave of Liberty

Demänovská Cave of Liberty

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *