DayTrippers – Paixão em Viajar

Salto Angel: O Sonho De Conhecer A Cachoeira Mais Alta Do Mundo

O imponente Salto Angel com quase 1km de altura

O sonho

Nós sempre sonhamos em conhecer a cachoeira mais alta do mundo e essa era nossa grande meta na Venezuela. Precisávamos cruzar o país em segurança dentro da atual conjuntura, chegar a Puerto Ordaz no estado de Bolívar, de lá tomar uma avioneta até o Parque Nacional Canaima (não tem acesso de carro) e então um barco para a base do Auyantepui ou “montanha do diabo” o tepui de onde o rio Churún salta para uma queda de 979 metros de altura o Kerepakupai-Vena, também conhecido como Salto Angel.

Os tepuis são montanhas do tipo meseta com topo plano e paredes verticais, típicos da Gran Sabana venezuelana e a majestosidade dessas formações às destacaram no livro “O mundo perdido” de Arthur Conan Doyle e na animação da Disney “Up – Altas Aventuras” que nós assistimos e recomendamos. Outro exemplo de tepui é o Monte Roraima, na divisa entre Brasil, Venezuela e Guiana.

Um Tepui

O pesadelo

Mas chegar a esse lugar tão afastado não é tarefa simples e impossível de se fazer por conta própria, como normalmente fazemos. Então o Curumim teve que ser trocado por uma excursão. Esse foi o primeiro passeio do gênero “pacote” que fizemos até hoje na viagem, e o mais caro também, mas era isso ou nada. USD240 por pessoa incluso avião ida e volta, hospedagem, refeições e traslado de barco, 2 noites e três dias. Pouca liberdade, muita gente, horários para tudo, tempo cronometrado para fotografia, um verdadeiro pesadelo.

Por sorte, um grupo legal na excursao

Dia 1

Tomamos uma avioneta pequena e balançante que atravessou a Gran Sabana em menos de 1 hora até chegarmos ao “Campamento Kavac” uma pousadinha simples com suítes e banho frio localizada em uma área indígena bem agradável. A tarde fizemos um tour de barco ao Salto Sapo, uma enorme cachoeira na qual se caminha por trás de uma forte queda de água. É impressionante! Melhor estar preparado com bolsa estanque ou câmera à prova de água, pois nesse passeio você se molha completamente. A noite jantar e opção de ir para um barzinho de frente para lagoa Canaima.

No 1o dia do passeio, o salto Sapo

Dia 2

Pegamos um barquinho duro e desconfortável por 4 horas que é facilmente superado com a beleza da paisagem ao redor. São tepuis e cachoeiras, além dos rios e a mata ciliar, um descanso para a mente e uma preparação para o que vem pela frente. Chegamos ao início da trilha para o Salto Angel e depois de 2 horas de caminhada chegamos ao mirante da cachoeira. Ficamos sem reação diante da magnitude daquele paredão imenso, manchado de rosa, laranja e amarelo, com uma enorme queda d´agua, um poço e uma nova queda cercada de verde, digno de livro, filme ou animação.

É nosso!


A noite foi no acampamento, frangos assados na brasa, um pouco de conversa jogada fora e logo todos exaustos foram para as redes. Fazia frio e o pessoal não conseguiu dormir bem, além disso, a pedido do nosso guia, nos juntamos com um outro grupo que também tinha feito o passeio. O que povoou ainda mais o nosso acampamento. Uma rede ao lado da outra, gente roncando por todos os lados…foi uma verdadeira sinfonia!

Noite fria!

Dia 3

Acordamos bem cedo para fazer o caminho de volta. Novamente barquinho, um pouco mais rápido rio abaixo e avioneta de volta para Puerto Ordaz.
Pelo que descobrimos há mais opções de saídas desde Ciudad Bolívar, sendo essa a recomendação para quem quiser conhecer o Salto Angel.

O Salto, meio encoberto, visto do acampamento

Excursões Kavac?

Fizemos tudo com as Excursões Kavac. Não recomendamos, sabíamos que estávamos comprando a opção mais barata com os meios de hospedagem mais simples, mas isso não justifica a falta de profissionalismo, os guias atrasaram, só explicavam o que perguntávamos, sempre cabia mais um e pra nós que buscamos uma viagem independente essa de fato não foi uma boa experiência. Um longo trajeto até o Salto Angel e não pudemos apreciá-lo como gostaríamos, pois o atraso dos guias reduziu o tempo no local. Pra quem puder pagar, indicamos algo mais exclusivo. Pra quem estiver na economia como nós, vá assim mesmo, afinal o Salto é realmente digno de sonho e “tudo vale a pena se a alma não é pequena”.

A estrela do “campamento Kavac”

Próximos passos

Quando começamos a viagem, América do Sul duraria 6 meses, Brasil duraria 45 dias, mas a sensação e o desejo por mais liberdade fez os planos mudarem muito. Sentimos vontade de Brasil e o próximo passo é ele mesmo, o nosso país. Que venha Roraima!

Prontos pra seguir viagem!

Veja o álbum de fotos do Salto Angel!

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *