DayTrippers – Paixão em Viajar

Quito: A Capital Mais Tranquila Da América Do Sul

Apesar de Quito estar a 2.800 metros sobre o nível do mar, para quem vem do oriente a descida é longa. E no final de muitas curvas, buracos e intensas freadas tomamos um susto. A Isa pisou no freio, o pedal foi até embaixo e nada, nem sinal do carro frear. Com calma reduziu a marcha, foi encostando e puxando o freio de mão até que o carro parou. O constante uso na descida deve ter superaquecido o fluido que perdeu suas propriedades e deixou o Curumim momentaneamente a deus-dará. Por sorte consegui uma revisão e um sangramento grátis com a boa vontade de um funcionário de um centro automotivo. Assim chegamos.

Nós não somos grandes fãs das capitais e grandes centros, mas reconhecemos seu valor. São de certa maneira um resumo do povo e da cultura de cada canto do país, com um toque das pessoas do mundo e, apesar do excesso de asfalto e cimento, costumam ter charme e muita história. E Quito tem uma vantagem, foi a capital mais tranquila que conhecemos em toda a América do Sul, tanto é que acampamos no parque da cidade, La Carolina.

A vista da barraca, parque La Carolina

Chegamos na cidade sabendo através do pessoal do clube da Kombi que uns argentinos estavam acampados no parque e fomos pra lá. Logo encontramos 3 carros de viajantes e as placas todas da Argentina. Aliás, os argentinos na nossa opinião são os maiores viajantes sul-americanos, estão em todas as partes e muitos pegam a estrada literalmente com a cara e a coragem, o importante é que não deixam de viajar. Podem estar no semáforo fazendo malabarismo, na praia vendendo alfajor, nos bares tocando, ou nas ruas entretendo as crianças com circo. Adoramos quando nos juntamos a eles, a energia é sempre boa!

Acampamento

Com essa turma dormimos algumas noites, cozinhamos em comunidade, equilibramos no slackline, fizemos música, trocamos dicas e demos bastante risada. Eram 3 casais, 1 deles com cachorro e uma menina que viajava com seu pitbull em uma Kombi. De dia éramos acordados as 6 da manhã pela aeróbica que acontecia no parque e quando abríamos a janela havia sempre um curioso fotografando a barraca. Apesar dessa falta de privacidade, poder dormir na rua, na capital de um país, não tem preço.

A ceia

Foi nessa cidade gostosa também que encontramos algo que vinhamos buscando há algum tempo para colocar em prática o nosso projeto de vender postais e divulgar nossas imagens da viagem. A gráfica da querida Paola nos deu finalmente a atenção que precisávamos para decidir papel, qualidade de impressão e acabamento para confeccionar nossa coleção de cartões postais. Depois de muitas provas ficamos satisfeitos e encomendamos vários deles para vender on-line em nosso site e também no caminho. (www.daytrippers.com.br/postais)

Os postais

Bom, aí vem a parte turística. O centro histórico de Quito é bem legal e valeu uma caminhada de uma tarde, passando pela Praça de São Francisco e a igreja de mesmo nome, além de outras igrejas, o palácio do governo, o parque metropolitano onde vivem umas llamas e a impressionante basílica que fica em um dos pontos mais altos da cidade. Também visitamos o museu do pintor indigenista Camilo Egas, um mestre da pintura equatoriana, e grátis! Sem contar o Parque La Carolina que habitamos por uns dias.

Basílica

Além disso, na saída passamos pelo monumento da metade do mundo na latitude zero, um complexo turístico em torno da linha do Equador onde pudemos pisar ao mesmo tempo nos hemisférios norte e sul, além de conhecer algumas curiosidades em torno do assunto. Apesar da linha ser imaginária eu fiquei de certa forma embriagado com a sensação do local e antes de seguir para o hemisfério norte cantei seguidamente o clássico de Chico Buarque: “Nao existe pecado do lado de baixo do Equador… Vamos fazer um pecado rasgado, suado, a todo vapor…”

Um no norte e outro no sul

Confira a galeria de fotos de Quito

2 comentários sobre “Quito: A Capital Mais Tranquila Da América Do Sul

  1. Miguel Bezerra

    Parabéns! Pela coragem, pela enorme disposição, pela mente aberta, pela flexibilidade… Há pouquíssimas coisas melhores na vida que viajar. E viajar dessa forma não é pra muitos; só pros mais corajosos e muito dispostos. Sucesso! Saúde!

    1. Rafael Avila

      Valeu Miguel! Realmente exige um pouco de disposição, a vida na estrada não é um conto de fadas, mas como você disse, viajar é bom demais então fazemos o possível para ficarmos na estrada mais e mais… abs!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *