DayTrippers – Paixão em Viajar

Puerto Inka, Linhas de Nasca, Palpa, Huayuri e Huacachina

Saímos de Arequipa com um longo caminho pela frente, percorrer a desértica costa peruana. A primeira parada foi depois de 415 km, em uma pequena baía azul cercada de rochedos chamada Puerto Inka, onde acampamos do jeito que mais gostamos, pé na areia e barulho das ondas. Além da beleza natural, essa pequena praia abriga um sítio arqueológico muito interessante. Os Incas tinham ali uma base para extração de produtos marinhos, que eram processados, armazenados e enviados para outras partes do império, inclusive a capital, Cusco. Eu quero crer que esse povo tão engenhoso tinha ali também seu balneário de diversão, afinal nem só de trabalho e religião vive o homem.

Ruínas beira-mar em Puerto Inka

Seguimos então para o segundo maior ícone do turismo peruano, as famosas linhas de Nasca. Para observá-las com maior propriedade é preciso pegar uma avioneta por USD 50, mas decidimos admirar apenas aquelas que se pode ver da torre metálica, por USD 50 CENTAVOS. A visão é bem clara de duas figuras, a mão e a árvore. São muitas figuras, feitas manualmente por volta dos anos 400 a 600 d.C. através de uma pequena escavação de aproximadamente 6 centímetros de profundidade formando imagens de até 250 metros de diâmetro. Teóricos discutem sua finalidade, passando por adoração aos deuses, comunicação extraterrestre, rituais relacionado à água, irrigação, calendários astronômicos ou demarcação de lençóis freáticos. O certo é que valeu ver de perto essas figuras enigmáticas que faziam parte do nosso imaginário há muito tempo.

As enigmáticas linhas de Nasca

Também foi legal a passada pelo museu Maria Reiche, que foi feito na casa dessa alemã que protegeu e fez a manutenção das linhas, descobriu algumas figuras e lutou em 1955 por derrubar um projeto de irrigação que cobriria as milenares linhas com agricultura.

Reproduçao do ambiente de trabalho de Maria Reiche no muse

Outra parada interessante na sequência foi em Palpa, onde as linhas traçadas de figuras antropomórficas datam de 2.000 anos antes das linhas de Nasca e podem ser vistas de uma torre também a 50 centavos. Só evite o final do dia pois contra o sol a visão é dificultada, apesar do alaranjado interessante que o céu começa a esboçar. Como o sol já se punha dormimos ali em Palpa, depois de convencer o funcionário de um hotel a convencer o dono a nos deixar armar a barraca no estacionamento a USD 3! Viajar barato significa tentar, pedir, convencer, pechinchar, e muitas vezes isso nos leva a conhecer melhor as pessoas e os lugares.

As belas linhas de Palpa

Aproveitamos também para visitar mais um dos 13 mil sítios arqueológicos do Peru. A Ciudad Perdida de Huayuri não é impressionante, mas sim um complemento ao que vimos por todo o país. Nesse lugar as populações pré-hispânicas viveram por volta de 1.200 d.C em casas de pedra em meio a dunas e deserto. Se estiver de passagem, vale a entrada, que no caso foi grátis pois não havia ninguém trabalhando as 7 da manhã!

Mais ruínas…

Todo esse caminho pelo litoral é desértico, como a maior parte da costa sul-americana do pacífico. E é por aí que está o Oasis de Huacachina, literalmente um oásis, daqueles de filme, com uma lagoinha e palmeiras em meio às dunas do deserto. Super turístico, não ficamos mais que algumas horas, mas até que parecia interessante. Tem o sandboard que deixamos de lado pois já tínhamos feito em San Pedro de Atacama e também um passeio de 4×4 que um amigo disse ser muito legal, mas não tinha nada de muito novo pra gente, então apenas demos uma volta a pé pelos arredores apreciando o cenário. E rumo a Lima!

Oásis de Huacachina

Confira a galeria de fotos de Puerto Inka, linhas de Nasca, Palpa, Huayuri e Huacachina!

2 comentários sobre “Puerto Inka, Linhas de Nasca, Palpa, Huayuri e Huacachina

  1. Cintia Custódio

    Casal lindo!

    Estaremos indo fazer um mochilão por machu-pichu, titicaca, uyuni e atacama. Vi na internet esse oasis de Huacachina, vcs acham que vale a pena “perder” 2 dias para conhecer esse lugar?

    Vi elogios e criticas (que é sujo o lago, mto turistico)…. oq vcs acham??

    Bjos!!!!

    1. Rafael Avila

      Oi Cintia!Olha, dos lugares que você ta indo Huacachina seria o menos especial. Só recomendaria ir pra lá se estivesse bem no seu caminho. Se não, nao! Desculpe a demora em responder. Beijo!!

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *