DayTrippers – Paixão em Viajar

Nossa Casa Rodante: Como Transformamos Um Defender 110 Em Uma Casa Para Girar O Mundo

Rafa cortando uns “pedaços” do bagageiro do Curumim

Para quem já nos acompanha há um tempo sabe que decidimos fazer algumas alterações na parte interna do Curumim, afim de utilizar melhor o espaço que tínhamos dentro da defender, ter mais privacidade, segurança e conforto nos dias de muito frio, vento e chuva.

MDF e ferramentas

Percorremos 1 ano pela América do Sul com a nossa cozinha no “porta malas” da defender (o vídeo abaixo mostra os detalhes) e mantendo os bancos traseiros do carro com o intuito de receber visitas e dar caronas. Nos atendeu muito bem, mas vimos que podíamos melhorar, afinal, cozinhamos praticamente todos os dias e estamos sempre dormindo no carro, seja num camping, em um posto de gasolina, estacionamentos ou até mesmo nas ruas de pequenos vilarejos.


Video do setup antigo

Foi vivenciando o dia a dia na estrada que surgiu a necessidade de algumas mudanças, passamos praticamente 7 meses em locais frios e não tínhamos aonde nos esconder, somente na barraca, mas não daria para cozinhar dentro dela e também não queríamos passar todo o dia ali dentro. Além de atrairmos muitos olhares curiosos que, ao verem nosso carro e nossa cozinha quando parávamos em um posto de gasolina para cozinhar, queriam saber o que mais tinha ali dentro. Não estamos falando de casos isolados, estamos falando de uma rotina que chegou a nos sufocar em determinado período da viagem. Queríamos um pouco mais de privacidade e temíamos um pouco pela nossa segurança em certos locais.

Isa sendo observada por curiosos enquanto cozinha

Então chegamos à conclusão de que precisávamos criar um jipe para expedição mais versátil, que atendesse aos diferentes tipos de clima, ocasiões e lugares que passaremos durante a viagem. Depois de conhecer vários carros de amigos na estrada, chegamos à conclusão do que faríamos no nosso, sem perder essa área externa e a barraca que é o que realmente gostamos.

Preparando o carro pra construir a nova casa

Não tínhamos muito dinheiro para fazer essas mudanças e decidimos fazer por conta própria. Quando fomos trocar umas ideias com o nosso amigo Sérgio (que fez o armário antigo), ele se mostrou interessado em nos ajudar no projeto, mesmo sabendo que não podíamos gastar muito. Então combinamos de fazermos os 3 juntos, e a partir daí, mergulhamos de cabeça na construção da nossa nova casa, passando dias inteiros na marcenaria. Mudamos algumas coisas, acrescentamos outras, as vezes saíamos dali discutindo um problema, e no outro dia voltávamos com a solução e logo descobríamos um novo. O defender é um carro torto e cheio de recortes e isso deu um certo trabalho.

Nós e o Sergio

Botando a mão na massa

Procuramos fazer tudo de maneira simples, usando uma madeira mais leve e barata, fechos comuns nos armários e não usamos corrediças nas gavetas.

Já com meio caminho andado

Tivemos também a ajuda do nosso amigo Max, que segue a nossa viagem e passou uma madrugada com o Rafa colocando nossas ideias em 3D, que estão nas figuras abaixo. Dessa forma ficou bem mais fácil explicar para o Sérgio o que queríamos fazer.

Projeto em 3D que o Max nos ajudou

Projeto em 3D, acabamos alterando algumas coisas

Além da parte de marcenaria, também tivemos que correr atrás de tecidos à prova d’água para os estofados, espuma (7cm densidade 33), velcro, fechos para as gavetas, pia e encanamento para a mesma, torneira, filtro, trilho, rodízio, ilhós e tecidos para as cortinas, tapete, iluminação e todo o restante para finalizar a casa.

Isa e Rafa encaixando a pia

O custo total da nossa casa, incluindo madeira (2 placas e meia de MDF9mm medindo 2,20cm x 1,90cm), mão de obra (marcenaria, tapeçaria e costura) e todos os itens mencionados acima foi de R$1425,00. Como ainda conseguimos vender o armário antigo a R$400,00 para os amigos Luciene e Walfredo, que também têm uma defender, o custo caiu para R$1025,00.

Optamos também por trocar o “nosso quarto” (a barraca) e usar ela abrindo para trás. Antes tínhamos o modelo Fronteira e agora estamos com a Discovery II da Camping’s World. Ela é mais versátil, aconchegante, tem vestiário, toldo e complementa o nosso novo set up. Em casos de chuva,hoje, saimos do carro e subimos direto para o quarto sem nos molharmos.

Colocando a barraca com o nosso amigo Douglas da Camping’s World

O resultado final, está no vídeo abaixo. Espero que gostem! Nós estamos adorando!


Video da nova casa

3 comentários sobre “Nossa Casa Rodante: Como Transformamos Um Defender 110 Em Uma Casa Para Girar O Mundo

  1. Naira Barboza

    Olá, vi que vocês usam no fogareiro o gás glp, de quantos quilos? e já teve algum problema com a polícia na américa do sul? estou querendo fazer Chile-Argentina-Uruguai, começar aos poucos haha, e compramos um fogareiro mas agora tivemos o medo da polícia encrencar de estar carregando o botijãozinho de gás.

    1. Rafael Avila

      Oi Naira! Tudo bem? Na América do Sul viajámos com o fogão a gás com cilindro de 5kg. Não tínhamos problemas com a polícia por carregá-lo exceto quando compramos um cilindro na Bolívia e por ser subsidiado não pode ser “exportado” para fora da Bolívia. A questão maior é com o enchimento do cilindro já que os bicos em cada país são diferentes. Quando saímos da América do Sul trocamos o fogão por um a gasolina, dá uma olhada nesse post. Bj e boa viagem! http://www.daytrippers.com.br/fogao-coleman-a-gasolina

  2. Bárbara Giannico Waquil

    Rafael , como ficou o comprimento da cama dentro do carro? Estamos planejando um ano pela America e a distribuição interna da Defender que mais gostamos foi a de vocês. Consideramos que dormir eventualmente no carro é um pre-requisito da nossa viagem. Parabéns pela viagem e muito sucesso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *