DayTrippers – Paixão em Viajar

Lima: Uma Capital Caótica e Saborosa

Nós não somos muito fãs do agito urbano, mas há de se conhecer um pouco de tudo nessa vida. Chegamos à Lima em meio a uma sinfonia de buzinas, especialidade do povo peruano e também de moradores das capitais, então imagine o caos do momento. Nos desvencilhamos do trânsito todo para chegar ao Hitchhikers Hostel, um albergue que recomendamos tanto para mochileiros quanto para overlanders, afinal o local possui uma garagem e, apesar do pouco espaço, pudemos dormir em nossa barraca no teto e ainda ficar em um bairro muito legal da cidade, Miraflores.

O centro histórico de Lima

Lima possui um dos centros históricos mais bonitos e bem conservados entre as capitais da América do Sul. Vale rodar as igrejas, a plaza de armas e se deixar perder pelas ruelas do centro colonial, aonde fica o famoso e antigo Bar do Candona, excelente oportunidade para experimentar alguns petiscos tradicionais de Lima. Aproveite o final do dia para conhecer o Parque das águas La Reserva. Esse parque fica há uns minutos de ônibus do centro e é um excelente programa para todos os gostos, bolsos e idades. Um conjunto de 15 fontes que jorram água das mais diversas maneiras, combinada à música e luzes coloridas. Surpreendeu! USD2 por pessoa

Uma das fontes do parque

Aproveitamos o dia seguinte pra conhecer mais um pouco da história peruana visitando o sítio arqueológico de Hualla Pullanca, no coração de Miraflores. As visitas para conhecer o centro cerimonial do povo Lima que viveu ali em 200 d. C. são guiadas, o que é melhor, pois a construção é cheia de detalhes interessantes. Entrada USD5 por pessoa.

As ruínas

Bom, o que mais as capitais costumam oferecer além de centros históricos e parques? Comida! Lima conta com boas opções de restaurantes e a vida noturna do bairro boêmio Barranco, mas nós estávamos em contenção de despesas e fizemos a parte gastronômica à nossa maneira. Junto com a Dani, que gravava uma matéria para a TV Aparecida sobre a nossa viagem, caminhamos pela orla até o mercado de peixes de Chorrillos e escolhemos um peixe branco para preparar a grande especialidade da culinária peruana. O ceviche.

O mercado de peixe de Chorrillos

Encostamos o carro de frente para a praia e começamos. 1kg de peixe fresco cortado em cubinhos, suco de 10 limões, azeite Carbonell, pimenta ralada, cebola, cheiro verde e sal, deixa marinar uns 30 min na geladeira e voi lá. Serve com camote (pode usar batata doce) cozido e o milho branco peruano. Como não encontramos camote e milho branco, no Brasil as vezes comemos com pão em rodelas ou o que inventamos e adoramos, com farofa de dendê e couve, especialidade nossa.

O ceviche peruano completo com azeite Carbonell

Enquanto comíamos nosso ceviche chegou a polícia pra informar que era proibido “acampar” na praia e que poderíamos ser multados. Com muita educação os convidamos para o ceviche, explicamos que não dormiríamos ali e tudo se esclareceu.

Ceviche com o pessoal

E assim ficou pra trás essa capital vibrante, interessante e caótica, que valeu visitar, mas que fugimos antes de enlouquecer com as buzinas.

Menina no mercado de peixe

Confira a galeria de fotos de Lima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *