DayTrippers – Paixão em Viajar

Ilhabela: Um Mês No Litoral, Vivendo De Postais

Belos pores do sol virado para o canal

Depois das festanças da virada do ano o destino era certo, Ilhabela, onde fomos recebidos pela nossa amiga Daiana e vivemos por um mês. A ideia ali era viver a custo zero com a venda dos nossos postais (que podem ser comprados em www.daytrippers.com.br/postais), planejar o envio do Curumim para a Europa e curtir essa ilha maravilhosa.

Por do sol no Restaurante Nova Iórqui

Pra deixar o custo bem baixo, nenhuma grande novidade, cozinhávamos sempre, tínhamos onde ficar e fazíamos nossas programações baratas mas não menos gostosas como apreciar o por do sol em uma das inúmeras praias, fazer snorkel ou aproveitar o movimento do centro com nosso vinho em mãos. Também nos divertíamos tomando algo e conversando com o pessoal enquanto vendíamos postais nos arredores da rua do meio, o centrinho da cidade, onde os bares e restaurantes ficam lotados a noite.

Vendendo postais na rua

Ilhabela tem seus picos, filas de balsa (nós pegamos 4 horas), excesso de carros, excesso de borrachudos e movimento muito grande no verão e nos finais de semana mas nada disso tira o encanto da natureza, das cachoerias e das belas praias. Uma das que mais gostamos foi Jabaquara no norte da ilha. Já no caminho é possível avista a bela praia em formato de enseada e água azul. Lá embaixo estão alguns restaurantes e uma praia relativamente vazia no meio da semana

Saladinha de Atum Gomes da Costa na fila da balsa

Praia do Jabaquara vista da estrada

Já pro snorkel, a Ilha das Cabras foi o melhor que vimos na ilha. Para chegar aos arredores da ilha as pessoas costumam contratar um bote, mas pra economizar fomos nadando. É preciso um pouco de fôlego mas a recompensa valeu a pena. Conseguimos avistar uma tartaruga marinha, linda, cheia de paz, com o casco brilhando com o reflexo da luz e cheio de cracas como um casco de navio. Ficamos emocionados com bicho!

Tartaruga no snorkel

Mas o ponto alto foi mesmo quando fugimos da civilização e fizemos uma trilha de 4 horas até a Praia do Bonete. O caminho já é lindo. Em meio às arvores, passamos por alguns poços e cachoeiras onde recuperamos as energias e bebemos água. O mar estava sempre por perto como podíamos escutar e avistar as vezes. Por fim quando as pernas já estavam cansadas a vista mostrou que valia a pena. Lá de cima uma praia maravilhosa, azul, com muito verde das amendoeiras no final da faixa de areia.

Trilha do Bonete, Isa e Daiana

O visual do Bonete

O Bonete é a melhor relação paraíso vs distância de São Paulo que já vimos. Uma pequena vila de pescadores que se beneficia do turismo e se mantém forte contra a expansão desenfreada da urbanização. Para chegar lá é barco ou trilha e ao contrário da Praia de Castelhanos, parece que o Bonete vai continuar assim. Acampamos com a Daiana, curtimos uma noite na praia vazia, com fogueira, céu estrelado e o barulho do mar. Voltamos de trilha para economizar, o barco sai em torno de R$40 por pessoa.

Meio de transporte no Bonete

Quem conheceu Castelhanos anos atrás quando até de jipe era difícil sabe a diferença que a construção da estrada fez. Dessa vez, quando chegamos lá tinha um carro com o porta-malas aberto e o som no máximo. Trouxeram o agito para o refúgio. Pena. Bom, Ilhabela é isso, uma mistura de agito e tranquilidade, trânsito e ausência total de carros. Foi ótimo viver ali um mês.

Obrigado Ilhabela e Daiana!

Próximos Passos

Uma parte do que precisávamos organizar para seguir viagem foi feito em Ilhabela. De lá seguimos pra Caraguá para visitar o Américo e a Mariane, Paraty com o Maiko, Rio de Janeiro revendo a galera, Minas Gerais onde ficamos na roça trabalhando no interior do Curumim e finalizando os preparativos para seguir rumo a Buenos Aires e embarcar para a Europa. Também esticamos para um carnaval escondindos no mato em Aiuruoca com amigos, um encontro das Barracas Automotivas Camping´s World e fomos expor o Curumim e contar sobre a nossa viagem na Adventure Sports Fair em São Paulo, também revendo amigos. Como a Copa do Mundo vinha chegando resolvemos atrasar um pouco e curtir metade dos jogos em terras brasileiras, até assistimos um Bélgica e Argélia no Mineirão antes de seguir Rumo a Buenos Aires (link).

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *