DayTrippers – Paixão em Viajar

Bem Vindo Curumim: Recebendo Nosso Garoto Em Hamburgo

Por do sol no porto

Costumo dizer que viajamos em 4: Eu, Rafa, Curumim e a sorte. Ela está sempre com a gente e nós contamos sempre com a presença dela. Chegamos em Hamburgo no dia 21 de agosto já preocupados com os absurdos que os despachantes estavam nos cobrando para desembarcar nosso carro. Algo como 1000 euros para o desembarque + 300 para o raio X que provavelmente iriam solicitar pois o carro estava vindo da América do Sul, não contávamos com isso! Eles não explicavam muito, simplesmente nos davam o preço sem abrir os valores. Acho que o trabalho do despachante é exatamente esse, deixar tudo muito confuso para você não entender nada e pagar pelo serviço dele.

No porto

Estávamos decididos a tentar fazer todo o procedimento por conta própria, mas antes disso deixamos 3 opções de despachantes na manga caso fosse necessário. Primeira coisa que fizemos na quinta feira quando chegamos em Hamburgo foi ir a um despachante (Broker) que já estávamos em contato e que ficava ao lado do aeroporto. Fomos tentar entender melhor o processo e fazer um contato pessoal com o cara, prezamos muito por isso e acreditamos que são nesses momentos que realmente conhecemos a pessoa e o trabalho dela. Ele também não especificou os valores, mas gostamos dele, combinamos de manter contato e seguimos para o próximo passo.

Fazendo por conta própria

O passo seguinte seria ir ao escritório da Hamburg Sud, empresa de transportes marítimos de containers, pegar a original do nosso Bill of Landing (documento imprescindível para retirada do container no destino final), pagar as taxas do porto que já havíamos recebido e tentar tirar alguma informação de como fazer o procedimento por conta própria.

Onde estará o Curumim?

Chegando lá nos enviaram para o escritório da Columbus Logistics Services (que faz todo o processo pré e pós embarcação, incluindo o necessário processo aduaneiro, que faz parte de cadeia de logísticas da Hamburg Sud), no mesmo prédio, para retirar o documento. Na Columbus fomos recebidos por uma simpática moça que se esforçava em falar o espanhol tentando nos ajudar no que fosse necessário, afinal o carro vinha da Argentina. Foi quando comentamos que éramos brasileiros que ela abriu aquele sorriso aliviada em poder falar o português. Iris é alemã, mas morou 15 anos no Brasil e acho que pegou bem o jeito descontraído do brasileiro. Explicamos nossa situação e os valores absurdos que os despachantes estavam cobrando para a retirada do carro. Ela disse que com um pouco de paciência era possível fazer o procedimento por conta própria e nos deu o passo a passo. Mas que sorte! 1 – Pagar a nota fiscal do porto, 265 euros. Aí pagamos impostos e o Handling que nada mais é que o descarregamento do container.

Fatura do porto

2 – Ela nos deu o número da nossa ATB (algum número de controle da aduana) e fomos na alfândega, a conselho dela no final do dia, quando as coisas estão mais tranquilas caso fosse necessário “chorar” um pouquinho para que nos ajudassem no trâmite (ela disse que aqui na Alemanha também rola dar uma chorada). Depois de 1 trem e 2 ônibus chegamos ao porto e fomos na aduana, eles não falavam muito bem o inglês, mas foram solícitos, verificaram o número do ATB e disseram que só poderiam abrir o processo quando o container já estivesse em Hamburgo no domingo. Os documentos necessários para a retirada do carro eram: Bill of lading, seguro obrigatório do carro para dirigir na Alemanha, documento do carro, carteira de motorista e passaporte do dono do veículo. Nem foi preciso chorar!

Bill of lading

3 – Fizemos o seguro obrigatório do veículo na ADAC, pagamos 105 euros por um mês de seguro.

Carta verde, o seguro obrigatório

4 – Pagamos 350 euros para a Columbus para que um caminhão pegasse o container e transportasse ele até o local onde iríamos pegá-lo (essa taxa é inevitável, impossível fazer por conta própria.)

Técnica alemã para tirar o carro do container

Fizemos tudo isso antes do navio chegar, quando ele finalmente chegou em Hamburgo e o container foi descarregado (isso aconteceu só na segunda feira), já estávamos com toda a documentação preparada. Na terça feira voltamos novamente na aduana para abrir o ATB e eles a deixaram em aberto, pois só finalizariam o processo depois que voltássemos lá com o carro para fazer o raio X. Fomos até a área do porto onde a Íris nos informou que o caminhão deixaria o nosso container e já tínhamos o contato do responsável pela abertura do mesmo.

Documento de transferência do ATB para nossa responsabilidade 1/2

Documento de transferência do ATB para nossa responsabilidade 2/2

Foi um momento de muita ansiedade, pois por algum motivo (que ninguém soube explicar muito bem em inglês), o pessoal da aduana tinha esquecido de fazer o procedimento no sistema para liberar a abertura do container, e ali ficamos parados esperando por mais de duas horas. Liberado a abertura do container e depois de alguns minutos sem conseguir dar partida, tiramos o Curumim de lá e seguimos em direção ao raio X onde enfrentamos uma fila de mais 1 hora. Depois de passar pelo scanner, ainda esperamos outras 2 horas para finalmente, no final do dia, sairmos com o Curumim livres rumo à Europa.

Passando no raio-x

Quanta alegria e alívio! A história é cheia de detalhes e acredito que cada caso é um caso. Foi realmente necessário muita paciência, mas deu certo. No final, ao invés de 1300 euros, gastamos 600! Graças também à nossa amiga Íris, que se colocou à disposição em ajudar outros overlanders que por ali passarem. Por isso deixo aqui o contato dela e também estamos à disposição para ajudar quem precise! Abs e boa sorte!

Curumim já na Alemanha

Escritório da Columbus Hamburgo

Columbus Logistics Services GmbH Pelzerstrasse 9 – 13 (O escritório da Hamburg Sud fica no mesmo prédio)

Contato da Iris

iris.roemer@cls.hamburgsud.com

Endereço do Customs Office no Porto

Zollamt Waltershof Finkenwerder Strasse 4

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *