DayTrippers – Paixão em Viajar

Delta do Parnaíba: Encontro Do Rio E Mar Com Natureza Exuberante

Na ponta do Delta

Saindo dos Lençóis Maranhenses pegamos quilômetros intermináveis de caminhos de areia, atolamos, desatolamos, passamos por vilarejos no meio do nada até chegar em Parnaíba no Piauí, quando já caía a tarde e a cidade passava por um apagão. Procuramos um pouco mas vimos que não encontraríamos nada acessível então a solução foi tocar para um posto de gasolina. Achamos um com uma cara mais ou menos, abrimos a barraca e fomos fazer uma tapioca, debaixo do guarda-chuva, exaustos e famintos.

O sustento do rio

Enquanto cozinhávamos apareceu um sujeito em um Toyota Bandeirante 64, perna mecânica e um sorriso na cara. Questionou nossa tapioca de tomate e cebola e disse que no dia seguinte nos buscaria para o café da manhã. Dia seguinte as 6 da manhã ele bate na barraca e chama para o café. Fomos para a casa da sua mulher e comemos no café, caldo de carne moída no tomate e cuscuz, uma delícia, além do normal, pão, presunto, queijo, leite. Uma refeição! Na sequência o Cícero nos convidou pra dormir na sua chácara naquela noite. Dissemos que se desse apareceríamos.

Com o querido Cícero

Hora de partir pro turismo, precisávamos encontrar em plena segunda-feira um barco para passear pelo Delta do Parnaíba e não seria tarefa fácil, ao menos gastando pouco. Conversa vai, conversa vem e na Morais Brito conseguimos um barco só pra nós 2 pela metade pelo preço. do ticket pra duas pessoas em um barco tipo escuna (aproximadamente R$100 35). Mostramos os postais, contamos do site e combinamos que se gostássemos divulgaríamos. E gostamos, foram super atenciosos, então, quem precisar: http://www.deltadorioparnaiba.com.br. Da agência fomos para o Porto dos Tatus.

Nosso piloteiro com o peixe que ganhou do amigo pescador

Encontramos o piloteiro, deixamos o Curumim na casa dele, subimos em um barquinho e seguimos pelo rio. Logo no início paramos em uma duna que dava vista para dois braços de rio que dão uma ideia daquilo que caracteriza uma foz em forma de delta, o Rio principal vai se desmembrando em diversos braços que desaguam no mar e toda a região acaba se desenvolvendo em um ecossistema riquíssimo de mangues, rio e mar. No caso do Delta do Parnaíba são 5 braços principais e 73 ilhas de flora e fauna exuberantes além das dunas que completam a beleza do local.

A vista das dunas

A vegetação típica do mangue

Na sequência fomos entrando pelos igarapés, pequenos braços de rio que entram em meio a floresta permitindo a observação de aves e caranguejos, além da bela vegetação do manguezal. A riqueza do ecossistema é também a riqueza econômica do local pois além do turismo o delta proporciona trabalho para pescadores e catadores de caranguejo.

Catadores de caranguejo

Belo pássaro

Um pica-pau

Seguimos então até a ponta do delta de onde se pode observar o rio chegando, encontrando o mar e de um lado Piauí e do outro Maranhão. Lá na ponta também está o restaurante e pousada “Casa de Caboclo” que nos deixou com bastante vontade de ficar. Batemos um papo com o Daniel, o dono, que nos ofereceu um suco de tamarindo e foi bem simpático. Um dia voltamos pra ficar por ali uns dias. Aliás, precisamos mesmo voltar pois a grana curta não permitiu que fizéssemos mais um passeio que parece incrível, o de avistamento das aves vermelhas chamadas Guará que todo final de tarde se reúnem às centenas para dormir em árvores na beira do rio. Ótimo motivo pra voltar a um lugar que adoramos!

Daniel, tranquilo na ponta do Delta

A noite seguimos para a casa do Cícero que nos recebeu com arroz e frango, contou várias histórias de sua vida de caminhoneiro que dariam um capítulo a parte. Mais um querido que fica em nosso coração.

Na foto o rio, o mar, Maranhão e Piauí

Pescador oferece um peixe

Próximos Passos

Seguiremos para a terceira parada na rota das emoções, a internacionalmente famosa Jericoacoara no Ceará. Será que é tudo isso mesmo?

A caminho de Jericoacoara, pela praia

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *