DayTrippers – Paixão em Viajar

Cracóvia, Entre Tristeza E Beleza No Sul Da Polônia

Chegamos na Polônia, nosso vigésimo país na viagem, de volta a Schengen Area e para a contagem regressiva do visto de 90 dias do qual restam apenas 13 para cruzar também Eslováquia e Hungria. Depois de uma fronteira demorada, especialmente na saída da Bielorrússia, seguimos para Varsóvia para pegar nossa amiga Marina no aeroporto. Entramos e saímos do estacionamento 4 vezes para não estourar os 15 minutos gratuitos, a Marina pulou pra dentro, beijos e abraços e seguimos caminho.

Krakow, Poland

Com a Marina no Curumim

Varsóvia não era o nosso sonho e dada a pressa ficamos apenas 1 dia em que fizemos um Free Walking Tour sobre o comunismo na Polônia. Vindo da Rússia e Bielorrússia esse era um tema que nos interessava e aprendemos um pouco sobre como a Polônia conseguiu fazer seu próprio estilo de comunismo e ser um dos países com maior liberdade de expressão entre os que estavam atrás da cortina de ferro.

Krakow, Poland

Um pouco de capital

Seguimos então para o sul do país para conhecer a Cracóvia e os arredores. A cidade em si é bem agradável, com uma praça central dessas bem típicas das cidades históricas européias, a imponente Basílica de Santa Maria e inúmeros cafés com preços para turistas. Batemos o olho nisso e fomos ao que nos interessava. Queriamos conhecer um dos clássicos “milk bar” ou “bar mleczny” que são antigos restaurantes muito comuns no início dos 1900 e principalmente após a grande depressão quando os pratos baratos e nutritivos eram essenciais para os trabalhadores. Também faziam sucesso durante o período comunista entre os trabalhadores de empresas menores que não tinham cantina própria. Uma viagem no tempo, procure um com menos cara de turístico e fuja do famoso “Tomasza” se quiser uma experiência local. Nós fomos ao Pod Temida, bem perto da praça central na ul. Grodzka, 43 e adoramos.

Krakow, Poland

Isa e Marina no milk bar

Pra fechar a noite, umas cervejas no bar Propaganda foi uma segunda viagem no tempo, com a parede forrada de propaganda comunista, todo esfumaçado e muito frequentado por locais, nos chamou muito mais a atenção que as famosas casas noturnas da cidade. A Cracóvia é uma cidade cheia de possibilidades de diversão.

Krakow, Poland

Pub Propaganda

Mas por outro lado… Quem já assistiu “A Lista de Schindler” infelizmente vai reconhecer que está caminhando pelo cenário desse filme que conta um pouco sobre o o holocausto, um dos maiores genocídios da historia da humanidade. Fizemos o Free Walking Tour, quase congelando a -9ºC, sobre os judeus na Cracóvia que é muito esclarecedor. Entre os pontos visitados está o gueto onde os judeus viveram em situação precária durante a 2ª guerra mundial, antes de serem enviados para campos de trabalho forçado ou de extermínio como Auschwitz.

Krakow, Poland

Lembra daquela cena que a criança esconde embaixo da escada?

Aliás, falando em Auschwitz, esse é um dos maiores “atrativos” nos arredores da cidade. Alguns passeios não trazem prazer nem diversão, a visita ao campo de extermínio Auschwitz-Birkenau choca a cada momento, deixa um nó na garganta, traz tristeza e incompreensão, mas refletir sobre a nossa história é sempre importante e temos que saber até onde o ódio pode levar o ser humano. Esse foi o maior campo de extermínio nazista, ali morreram mais de 1.100.000 pessoas, entre judeus, ciganos, opositores políticos, testemunhas de jeová, homossexuais, entre outros. A maioria em câmaras de gás, mas muitos de cansaço, fome, frio, execução sumária.

Krakow, Poland

Na entrada a clássica “o trabalho liberta”


Krakow, Poland

Proteção?

Outra coisa imperdível nos arredores da cidade é a mina de sal de Wieliczka. Também conhecida como Catedral de Sal, a mina foi construída no século XIII tendo produzido sal até o ano de 2007. Ela chega a uma profundidade de 327 metros e conta com 287km de túneis, dos quais 3.5km podem ser visitados. O principal motivo para se visitar Wieliczka não é conhecer a produção de sal, mas sim as esculturas feitas em sal e a catedral completamente esculpida na rocha salobra, além dos lagos subterrâneos. Aliás, o divertido é ir lambendo as paredes pra lembrar sempre que realmente tudo aquilo é sal!

Krakow, Poland

A maior das catedrais subterraneas

Krakow, Poland

Lambendo as paredes

Próximos passos

Saímos de lá rumo as montanhas e sem perceber que esquecemos nosso passaporte no banheiro da mina, 64 metros abaixo da superfície.

2 comentários sobre “Cracóvia, Entre Tristeza E Beleza No Sul Da Polônia

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *