DayTrippers – Paixão em Viajar

Boas Surpresas No Cazaquistão

Chegamos no Cazaquistão com nossos caroneiros franceses, Flo e Mag, sem expectativa alguma em relação ao país. Entre os viajantes o Cazaquistão é muitas vezes visto como um simples deslocamento entre o Quirguistão e a Rússia ou Mongólia ou um ponto para resolver problemas já que entres os países da Ásia Central é o mais desenvolvido contando assim com boa infraestrutura. Nossa ideia era uma breve passagem para resolver algumas coisas em Almaty e chegar logo na Mongólia a tempo do festival Naadam.

Cazaquistão
Cazaquistão

Mas para quebrar o preconceito o primeiro dia já nos trouxe uma bela surpresa. O Cânion Charyn no sudeste, perto da fronteira com o Quirguistão, além de ter um visual incrível pode ser facilmente percorrido tanto em cima como embaixo e nosso “free camping” foi ali mesmo de frente para as formações rochosas avermelhadas com lindos nascer e pôr do sol. Também andamos entre os paredões e tomamos um banho no rio gelado que corta o cânion.

Cazaquistão Cazaquistão Cazaquistão

Do Charyn seguimos para Almaty que não é a capital mas é a cidade onde as coisas acontecem no país. Deixamos a Mag e o Flo no albergue que tinham reservado e fomos dormir a primeira noite no estacionamento de um restaurante no centro da cidade com permissão do simpático dono. Na manhã seguinte fomos até a ARB 4×4, indicada no blog de outros viajantes como um bom ponto de apoio para resolver problemas. Quem nos recebeu lá foi o Viktor que apesar de não ter nada do que precisávamos foi nosso grande apoio e falando inglês fluentemente nos ajudou muito. Além disso nos permitiu acampar no quintal da empresa.

Estávamos na busca de uma nova bateria de ciclo profundo para nossos equipamentos como geladeira e inversor mas isso é algo inexistente naquela parte do mundo. Aproveitamos então para consertar rasgos nos pneus traseiros e o ar condicionado que vinha fazendo falta nos desertos e seria muito útil nos que vinham pela frente. Deixamos Almaty dentro do tempo para chegar na Mongólia antes do Naadam.

Cazaquistão

Mas o Naadam estava mais longe do que imaginávamos. Nossa breve passagem pelo Cazaquistão acabou se estendendo por longos dias de muito trabalho com o Curumim e também uma oportunidade para fazermos novos amigos Cazaques. A 120 km de Almaty nosso pneu recém consertado estourou e optamos por voltar para a cidade onde teríamos a possibilidade de comprar novos pneus já que não havia mais conserto. No caminho de volta para Almaty o garfo da nossa embreagem quebrou e o carro parou de vez no meio do nada. Tivemos que dirigir até Almaty 80 km na madrugada e sem embreagem, basicamente usando a segunda marcha e trocando “no tempo”.

Cazaquistão

Para piorar era feriado no país, atrasando mais um dia e foi um parto para conseguir os pneus certos com bom preço, encontrar um novo garfo da embreagem e um mecânico para nos ajudar nesse trabalho. Sem a ajuda do nosso amigo Viktor teria sido ainda mais difícil porque ninguém fala inglês e o nosso russo é o básico do básico “chu chu”. Mas como sempre com os problemas vem ótimas histórias e não bastasse encontrarmos um bom mecânico para fazer o serviço ainda fomos convidados por ele para dormir na sua casa, uma vez que ficaríamos sem a nossa por 1 noite. Foram dias de muito estresse e gastos, mas olhando para o lado positivos da história, tivemos muita sorte de estarmos próximos a uma boa cidade onde encontramos solução para quase todos os problemas.

Cazaquistão

No dia de ir anterior ao de irmos embora o Viktor nos convidou para dormir na casa dele, nos fez uma sopa fria tradicional e nos levou no parque da cidade. No nosso longo caminho até a Mongólia dormimos no quintal de 3 famílias diferentes que nos convidaram para jantar, café da manhã e nos receberam com muita simpatia. Para fechar com chave de ouro, 2 dias antes da fronteira encontramos por pura coincidência a família Lensen, holandeses com 3 filhos em um velho caminhão mercedes que também estão no nosso grupo para cruzar a China. Começou ali nossa jornada juntos rumo a Mongólia. O Cazaquistão foi de um país de poucas expectativas para um lugar especial no nosso coração.

Cazaquistão Cazaquistão Cazaquistão

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *